Aguardando a continuidade da peregrinação através do Equador

O Ícone de Nossa Senhora de Częstochowa permanece no Equador desde 24 de março de 2017. A Virgem já visitou 29 Paróquias, na diocese de Santo Domingos. Muitos fiéis perscrutam o olhar da Negra Madona e sentem a sua maternal proteção.

A Nossa Senhora da Częstochowa era acessível a todos os seus filhos. Ela aceitava viajar até na carreta de um caminhão, nos acessos mais difíceis às Igrejas do interior, enfrentando as estradas empoeiradas, sujando o Ícone da Virgem porém os equatorianos que  são  muito devotos  da Mãe de Deus, aproximavam-se do  Ícone para  tocá-lo, para beijá-lo  motivando que a poeira  impregnasse ainda mais no Ícone da Virgem.

Aproveitando que o Coordenador Internacional da peregrinação do “Oceano a Oceano”, o Sr Lech Kowalewski o qual é o organizador da peregrinação. Graças a isso, são possíveis os consertos técnicos necessários e esses são: a limpeza do Ícone e outros consertos necessários para evitar o deterioramento. O Sr. Lech, trouxe também, da Polônia, uma arca de alumínio para o transporte da moldura iluminada e os elementos necessários para a segurança do andor. O Sr. Lech trouxe também outras miudezas necessárias. Atualmente estão sendo adaptados esses elementos que perante a situação do Equador não é fácil. A base é a Paróquia Assunção da Santíssima Virgem Maria, onde o Padre Leon Juchniewicz, missionário polonês, é Vigário e também curador do Ícone nas terras do Equador. É um lugar ideal para o trabalho de restauração. Assim, a Mãe de Deus encontra-se novamente no “Salão de Beleza”.

A visita do Sr Lech Kowalewski tornou-se, também, uma ocasião para  agradecer  ao   Bispo Bertam Wickow, Bispo Ordinário da Diocese de São Domingos, por toda ajuda e posssibilidade de visitar todas as Paróquias da Diocese. Realizou-se também, o encontro com o Bispo Ivan Minda, auxiliar da diocese de Guayaquil, graças a esse encontro, abriram-se as portas  para  a Mãe de Deus, para a continuidade da peregrinação  por todo o Equador.

Feliz momento, especialmente à jovem Gimina, mesmo sem ter sido planejado,  mas comprovado por todos os presentes. Gimina, membro da etnia indígena Saraguro, que residena Capital Huasini, na província de Zamora Chinchipe. Ela sente um chamado especial para servir o Senhor, junto à congregação das Irmãs Missionárias Beneditinas de origem polonesa. As Irmãs Beneditinas ajudam na pastoral da paróquia de Assunção e neste ano estão comemorando o Centenário de Fundação.

Depois de permanecer alguns dias na casa das Irmãs Beneditinas, Gimina retornará para casa de sua família Planeja visitar a cidade de “Los Encuentros”, na Província de Zamora Chichipe para deixar infomações sobre a peregrinação do Ícone de Częstochowa no canal de Televisão Católica “Los Encuentros” a qual é dirigida pelo padre Zdisław Rakoczy, missionário polonês mais antigo no Equador.