O ícone da nossa mãe chega na capital do Equador

Pe. Leon Juchniewicz, conselheiro do Pilgrim Icone no Equador e Pe. Bartolomeo Marciniak OSPPE, da Ordem Monástica de São Paulo, que visitava o país, trouxe “o Ícone de Nossa Senhora de Czestochowa” para a capital, Quito. O trajeto de Santo Domingo a Quito é de aproximadamente duas horas.

Perto da Catedral dos Primatas, no Centro Colonial de Quito, Pe. Leon se perdeu porque seguia as indicações de seu GPS, e as ruas fechavam-se de uma outra maneira, já que o município da cidade estava fazendo algum tipo de rearranjo. Eles estavam muito preocupados, pois era curto o tempo, então o Pe. Bartolomeu começou a rezar o rosário pedindo ajuda do céu. Em uma inclinação ascendente, eles viram dois traficantes de motocicleta se aproximando, então eles pediram ajuda. "Eles foram muito amigáveis, pararam o trânsito, acendiam as luzes de suas motocicletas e dirigiam Nossa Senhora diretamente para a Catedral. Eles eram para nós como dois anjos enviados por Jesus", diz o Pe. Leon.

Mons. Danilo Echeverria, bispo auxiliar de Quito e que promove a peregrinação na arquidiocese de Quito, recebeu-os, mas, como não era possível que a Mama Mobile se estacionasse em frente à Catedral, eles foram para um estacionamento nas proximidades do Mosteiro de Concepcionistas Franciscanas. As irmãs estavam muito entusiasmadas com essa visita inesperada e não perderam a oportunidade de admirar o Ícone e rezar brevemente diante dela.

Então, eles caminharam rapidamente com o Ícone através da rua Garcia Moreno, que é apenas pedestre e que passa em frente ao Palácio Presidencial de Carondelet. Lá pararam por um momento e o Pe. Leon, Fr. Bartolomeo e Mons. Luis Tapia, que é o reitor da catedral, abençoando na presença do Ícone, o Presidente da República.

O Primaz do Equador e Bispo de Quito, Mons. Fausto Gabriel Travez, já estava esperando que eles recebessem o Ícone e a Missa celebrada. É interessante notar que a Catedral Metropolitana de Quito foi elevada a uma Catedral Primada do Equador em 1995, tornando-a a maior igreja católica do país. Em procissão, o Ícone foi levado ao presbitério onde foi preparado um lugar especial para a veneração. A missa foi precedida por Mons. Travez; Mons. Rene Cobo, Bispo Militar; Fray Miguel Sabatowski OFM, dos Franciscanos Menores Conventuais Menores e quem será o guardião do Ícone durante a peregrinação em Quito; bem como o P. Leon e Fr. Bartolomeo. O bispo Echeverria estava ajudando no sacramento da confissão.

Mons. Travez, em sua homilia, apresentou a história do ícone original encontrado em Jasna Gora, surpreendendo a todos com seu conhecimento histórico da Polônia. Ele destacou o papel de Maria na Igreja e a devoção polaca e equatoriana tão profundamente enraizada na Mãe de Deus. No final da Eucaristia, todos os fiéis receberam cartas de oração com a imagem do Ícone e a oração de São João Paulo II de sua encíclica Evangelium Vitae nas costas.

O ícone permaneceu até 1º de fevereiro na Catedral pela vontade do bispo Travez para que os fiéis tenham a oportunidade de se aproximar e contemplá-la.